Sal Azeite
HISTORIAL
A SALEXPOR – Companhia Portuguesa de Sal Higienizado, S.A., foi constituída em 10 de Julho de 1970, sob a forma de sociedade por quotas. Presidiu à sua constituição o objectivo de dotar um grupo de produtores de sal marinho, já com algumas explorações e outros projectos em comum (sociedades COMPASAL, SINEXPRAL e AGROSUL), de uma unidade transformadora que reforçasse a capacidade de escoamento e que concorresse para a valorização da matéria-prima obtida nas marinhas solares. Em resultado da vigência da Lei do Condicionamento Industrial, aqueles produtores, para realizar o seu projecto tiveram de associar-se através da Sinexpral à Sociedade Aveirense de Higienização de Sal, Lda., que deteve uma participação inicial maioritária no capital da SALEXPOR. Em 1977, os mesmos produtores adquiriram esta participação e assumiram o controlo total da empresa.

Entre 1971, ano em que iniciou a sua actividade, e 1982 a SALEXPOR dispôs de uma capacidade de produção (higienização e refinação de sal marinho) de 4,5 tons/hora.
Em fins de 1980 foi iniciado um ambicioso projecto de instalação de uma unidade totalmente nova, de concepção própria, apontando para uma capacidade de produção de 15 tons/hora. Em 1982 entrou em funcionamento este novo sector fabril com uma capacidade real instalada de 12 tons/hora.
Em consequência da entrada em funcionamento do novo equipamento de produção, a SALEXPOR tornou-se a empresa de transformação de sal de maior dimensão em Portugal.
Entretanto, em 1987, adquiriu participações maioritárias nas empresas produtoras de sal marinho SINEXPRAL – Sociedade Industrial de Exportação das Prainhas, Lda. e COMPASAL – Companhia Salineira do Algarve, Lda. Em conjunto com estas e com a AGROSUL – Exploração Agrícola do Sul, Lda. a que um dos accionistas maioritários está ligado, forma o que tem sido reconhecido pelas entidades públicas como o maior grupo português do sector. Este grupo de empresas é responsável pela exploração de cerca de 900 hectares de salinas, todas localizadas no salgado algarvio, entre Ludo (Loulé) e Castro
Marim, o que se traduz numa produção anual de cerca de 85.000 tons de sal marinho “tal e qual” e que corresponde a cerca de 57% da produção portuguesa.
Em termos de Know-how e capacidade de construção, para além da SALEXPOR ter projectado e construído a unidade inaugurada em 1982, que é apontada como modelo por um dos mais importantes produtores europeus de equipamento para o sector, através de meios disponíveis nas associadas COMPASAL e SINEXPRAL, tem projectado e realizado a instalação de novas salinas (próprias) e a reestruturação de outras.
Complementarmente à renovação e expansão da estrutura produtiva, a SALEXPOR procedeu ao redimensionamento da estrutura de distribuição, dispondo de centros no Montijo, Coimbra e Porto.
Tendo presente a dimensão do mercado português e dando sequência a alguns princípios em que se baseou a projecção da citada ampliação fabril, a SALEXPOR iniciou em 1984 contactos com mercados externos (Europa e África), tendo, desde então, orientado a sua intervenção para a Nigéria, mercado onde vem colocando, posteriormente a 1987, quantidades de sal refinado embalado em sacos de algodão revestidos a polietileno que oscilam entre 20.000 e 30.000 tons/ano.

Em 1988 fez candidatar aos benefícios previstos no Sistema de Incentivos de Base Regional um projecto de investimento relativo à melhoria da qualidade e fabrico de novos produtos, melhoria da apresentação dos seus produtos e instalação de equipamento para reforço da estrutura de distribuição, cuja execução se iniciou em 1989 e para o qual foi autorizado um apoio financeiro de 127.000 contos.
No final de 1986, tirando partido da rede de distribuição que implementou ao longo de todo o país, com base nos Centros Regionais de Vendas e Distribuição, a empresa iniciou a distribuição de “Detergentes” e de “Derivados de Tomate” e em 1987 a distribuição de arroz da marca CIGALA, uma das mais reputadas da Europa.

O processo de diversificação continuou até ao momento actual, tendo sido alargado o GRUPO SALEXPOR com a constituição em 1987, da TORRE D`AIRES – Empreendimentos Turísticos, Lda., com a aquisição, em 1992 da EMPRESA FABRIL DE MOURA, Lda. e da TORRAZ – Sociedade Comercial e Industrial de Azeites do Torrão, Lda, e, em 1994 da MINHO EXPORTADOR – Águas Minero Medicinais de Grichões, S.A.. Com a aquisição destas empresas a SALEXPOR inicia a comercialização das suas produções, nomeadamente “AZEITE”, “ÓLEO ALIMENTAR” e “ÁGUA MINERAL NATURAL”.

Na EMPRESA FABRIL DE MOURA, LDA foi realizado, entre 1992 e a actualidade, um plano de investimentos que implicou a triplicação da capacidade de produção de azeite, a instalação de uma nova refinaria e de uma extracção para a produção de óleos de semente de girassol e de outras matérias-primas, a reinstalação de diversos sectores e a construção de uma área de 1340 m2 para modernização e ampliação da secção de embalamento.
Posteriormente à aquisição da sociedade MINHO EXPORTADOR, cuja denominação social foi entretanto alterada para ALTO MINHO – Águas Minero Medicinais de Grichões, Lda., foi concluído o projecto de investimento que estava em curso e introduzidas algumas correcções e ajustamentos da estrutura produtiva.

 

WEBDESIGN:IDEIASFRESCAS.COM
Página Inicial